terça-feira, 25 de setembro de 2012

Uso do Fartleks Aeróbios em treinamento de corridas






Resultado de imagem para sports children
Fartlek vem do sueco fartlöpning (correr) e lek (brincar). Segundo TUBINO (1984), o termo pode ser entendido como "jogo de corridas". O seu criador foi o sueco Gosse Holmer, que preconizava a aplicação de um método envolvendo a superação de percursos com subidas, descidas, planos, trechos com areia, entre outros.

Planos de aulas para vários esportes

O processo apresenta as seguintes características:

· as sessões devem ser feitas em bosques, campos e montanhas;
· durante o percurso, os atletas devem variar os ritmos de trabalho;
· há uma alternância entre corridas rápidas e lentas;
· o trabalho muscular deve ser realizado por meios naturais (subidas, terrenos arenosos, etc.);
· os esforços são de intensidade média e de longa duração;
· a dosagem de esforço é feita por conta do próprio atleta;
· há combinações de todas as distâncias (de 50 metros até 3.000 metros);
· os tempos das sessões não são fixos, ocorrendo entre 40 e 120 minutos

HEGEDUS (1973) apresentou uma sessão de Fartlek proposta por GOSSE HOLMER em 1930, para corredores de fundo e meio fundo:

· trote suave durante 5 ou 10 minutos;
· corrida entre 1.200 e 2.500 metros, em velocidade média e uniforme;
· marcha rápida durante 5 minutos;
· ciclo de corridas de velocidade entre 50 e 60 metros, intercaladas por trotes até a normalização da respiração, para o atleta se sentir descansado para novos piques (sprints);
· marcha, até a recuperação dos esforços anteriores;
· "Arranques" de 3 a 4 metros, rompendo a inércia o mais rápido possível;
· corrida de 150 metros em subida;
· trote para volta à calma.

Exemplo de Fartlek mexicano:

· 11min 30seg a 3:50/km (3 quilômetros)
· 7min a 3:30/km (2 quilômetros)
· 3min 10seg a 3:10/km (1 quilômetro)

Cinco séries de maneira ininterrupta.

A chave está em intercalar segmentos corridos com rapidez por períodos curtos de recuperação corridos em ritmo lento. Contudo, o ritmo deve ser o mesmo de competição. O ideal é, quando parar, o atleta sentir que poderia correr mais um pouco.

TUBINO sugere algumas considerações e indicações sobre a aplicação desse método:

· o Fartlek é uma excelente forma de trabalho para ser colocada em um programa de treinamento, como "quebra de rotina", mas sem perder de vista as qualidades físicas visadas;
· o Fartlek estimula grandes oportunidades de criatividade nas sessões de treino;
· a dosagem dos estímulos deverá corresponder as possibilidades individuais dos atletas e as escolhas são de responsabilidade dos treinadores.

Na atualidade, o Fartlek faz parte dos "métodos contínuos variados", que se caracterizam por trocas de intensidade durante o total de treino. As variações
desses parâmetros, segundo NAVARRO (1993), podem ser devidas a fatores:

Externos: adaptações às particularidades do terreno, rampas, piso macio ou duro, etc.;

Internos: vontade do próprio atleta segundo as características do momento (improvisações);

Planificados: decisão do treinador quanto ao tempo de trabalho e intensidade. A intensidade do trabalho varia durante o exercício. Deve-se alternar estímulos fortes (duração entre 1 e 10 minutos) com estímulos recuperativos (até que o organismo se encontre em condições de um novo estímulo forte). As alternâncias entre velocidade alta, média e baixa permitem grandes volumes de trabalho, não só pelos efeitos fisiológicos, mas também pela motivação produzida pela variedade do treino.

Retirei daqui



Comente:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog