sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Treinamento de força e seus benefícios





               O aumento do uso do treinamento de força (musculação) nos dias atuais foi causado, em grande parte, pela capacidade de oferecer aos seus praticantes benefícios à estética, à aptidão física e à saúde que não são facilmente obtidos pelo treinamento aeróbio ou de flexibilidade (caminhadas, corridas, ginástica, dança, etc.).

                Nesta modalidade o aumento da própria força é o primeiro dos benefícios alcançados, e pode ser evidenciado na melhora do desempenho das pessoas em suas atividades cotidianas, como, por exemplo, ao subir escadas, nos simples atos de sentar e levantar de uma cadeira, ao carregar as compras de supermercado, entre outras situações afins.

                Com relação à velocidade no ganho de força, as mulheres, assim como os homens, quando participam de um programa de treinamento muscular, ganham força em ritmo similar ao do homem, ou até mesmo mais rápido  (Lemmer et al., 2000; Cureton et al., 1988).     Este ganho de força se dá pelo aumento da área transversal da fibra muscular, conhecida como hipertrofia muscular, que ocorre em ambos os sexos. Tanto o homem quanto a mulher alcançarão os mesmos ganhos percentuais no volume da fibra muscular ao realizarem o mesmo programa de treinamento, contudo, este volume será compatível com o "calibre" de cada indivíduo; nas mulheres, as fibras musculares são naturalmente menores, pois, fisiologicamente falando, elas apresentam uma distinção em relação aos homens nos âmbitos de volume corporal e de especificidade hormonal que limitam o ganho de massa muscular (Staron et al., 1991).

                O treinamento de força ajuda a manter uma composição corporal adequada, preservando ou aumentando a massa corporal magra e diminuindo o percentual de gordura (Lemmer et al., 2001, 2000; Staron et al., 2000, 1994); quanto maior a massa corporal magra, maior a taxa de metabolismo e maior a taxa metabólica de repouso (calorias necessárias para manter as necessidades fisiológicas básicas de uma pessoa viva em repouso). Haja vista que muitas pessoas passam a maior parte do dia dentro ou nas proximidades da faixa de metabolismo de repouso, ou seja, sem muito gasto de energia, um pequeno aumento na taxa deste metabolismo pode ter significativo impacto no total de calorias metabolizadas durante o dia, o que muito ajuda no controle do peso corporal.

                O treinamento com pesos realizado por 30 minutos ou mais por semana, em adultos, reduz o risco de doenças cardiovasculares em 23% (Tanasescu et al., 2002), suavizando fatores de risco associados, como redução dos valores da pressão arterial (sistólica) em repouso, decréscimos na resposta da freqüência cardíaca em repouso, melhoras no perfil lipídico (gordura corporal), entre outros.

                Concluindo, a realização de exercícios físicos, e em especial, os treinamentos de força ou musculação, são de extrema importância para manutenção da saúde integral das pessoas, em todas as idades, e sempre com o devido acompanhamento profissional, o que certamente proporciona uma melhora significativa na qualidade de vida.

 

REFERÊNCIAS

SIMÃO R., FLECK S. Força – Princípios Metodológicos para o Treinamento. São Paulo. 1° Ed. Phorte Editora, 2008.

Autor:  Prof. Arthur C.D. Amorim - CREF: 001622-G/RN




Comente:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog