segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Saiba a importância do abdominal, muito mais do que flexão de quadril





quadril

É comum vermos atletas de esporte de combate fazendo exercícios abdominais, seja no aquecimento do treino ou na preparação física. Existem inúmeros exercícios para essa região do corpo. Acho que sou capaz da fazer mais de 50 para essa musculatura sem repetir o movimento, a grande maioria com movimentos de flexão e extensão do tronco ou isometria dessa área. Mas será que só isso basta?

Brinco com alguns atletas meus que eles têm abdômen de marombeiro, não de lutador, pois é forte, definido, mas não é útil. Essa musculatura é muito exigida durante a prática das lutas em geral e ela trabalha em diversos ângulos possíveis. É comum vermos atletas colocando cada vez mais cargas, aumentando as repetições e sentindo melhora na força e mudança visual. Quando falamos em fortalecimento de abdômen logo pensamos em vários tipos de exercícios abdominais, com e sem carga, em máquinas ou livres. Mas todos esses exercícios têm em comum uma coisa: são feitos sempre com flexões e extensões do tronco, com isso a força de flexão de tronco e a resistência aumentam consideravelmente, mas e a força de giro? E a força de movimentação específica? Será que ela melhora? E a propriocepção dessa área?

Não digo que seja um erro, mas não é comum vermos atletas preocupados em trabalhar esses movimentos, até porque são exercícios mais elaborados e de difícil execução. Tenho atletas que no abdominal na máquina coloca todas as placas e ainda diz "está leve", mas quando fazemos exercícios propioceptivos não aguentam carga, e quando fazemos exercícios de giro de tronco cansam mais ainda, chegando a ter cãibra.

O giro de tronco está mais presente do que imaginamos nos esportes de combate. No caso do Jiu-Jitsu, movimentos simples como estourar uma pegada em pé, ou puxar uma manga na diagonal quando se faz guarda, exigem muito mais do abdômen do que se imagina. Um simples ataque na americana saindo de dentro da guarda utiliza o giro de tronco.

Ao trabalharmos o abdômen dessa forma, criamos mais base para nos utilizarmos da força de outra área. O abdômen é o centro do corpo e ele serve como "apoio" para muitos movimentos.

Alguns atletas chegam até mim reclamando de problemas de hérnias, lombalgia e nervo ciático, e quando vou testar o abdômen deles vejo que é ali que está o erro. Em alguns casos a musculatura se apresenta bem forte, mas a propiocepção é muito ruim e a força de giro pior ainda! Prestem atenção a isso façam o tronco girar!

tatame.com.br



Comente:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog