sexta-feira, 11 de julho de 2014

Treinamento aeróbio e anaeróbio no Judô






O judô é um desporto que surgiu em 1882 fundado pelo mestre Jikoro Kano, que passou a ser uma das atividades esportiva mais praticada por atletas de todo o mundo. Mais não é pelo fato do judô ser milenar, que a seção de treinos também deve ser. Um de treino de judô normalmente em academias tem duração de duas horas e é dividida em quatro etapas, sendo: etapa inicial aquecimento (maios ou menos 15 min), segunda etapa o uchi komi (mais ou menos de 30 min), terceira etapa o randori (mais ou menos 60 min), quarta etapa a fase de recuperação (mais ou menos de 15 min). Alguns técnicos de judô ainda hoje simplesmente chegam ao tatame todos os dias e puxam o treino ter um objetivo especifico para aquela sessão de treinamento , isso se ocorre porque muitos desse técnicos não realizam ao começo de uma nova temporada o planejamento dos treinos.

Uma parte desses técnicos não tem formação acadêmica, ou não a põe em prática, com isso acabam realizando uma seção de treino igual a que eles tiverem na época que eram atletas, sem saber se esses treinos que eles tiveram na época de atleta são corretas ou não, simplesmente acham mais fácil realizar o treino do jeito que aprenderam e acham que da resultado pois na época deles era assim que se fazia e dava resultado, mais nem sempre o que da resultado é o melhor a ser feito, ou seja, ta bom mas pode melhorar (e muito).

O treino de judô para atletas de alto rendimento tem de ser planejado a cada começo de temporada visando em primeiro lugar os objetivos dos atletas nas competições mais importantes ao decorrer do ano.

Os treinos de judô podem ser devidos em treinos de características aeróbia e anaeróbias. O treino de característica aeróbia em primeiro lugar tem de diferenciar potência e capacidade aeróbias, a potência aeróbia e medida diretamente pelo vo2 Max ou vo2 de pico, enquanto que a capacidade aeróbia esta relacionada à intensidade de esforço que pode ser mantida por períodos prolongados de tempo (45min a 1h), a potência e capacidade aeróbia são consideradas importantes para o desempenho do judô, pois mantém uma intensidade elevada durante a luta, retardam a fadiga e maior recuperação entre os combates, e isso já é um motivo de fundamental importância para a periodização dos treinos durante o ano. Uma seção de treinamento aeróbio pode ter atividades de caráter continuo ou intervalado e na montagem do treino deve se considerar o nível inicial de condicionamento físico dos atletas e seus objetivos em primeiro lugar. E importante enfatizar que todo o trabalho aeróbio pode e deve ser adaptado para atividades do judô (uchi-komi,nague-komi,movimentação e trabalhos técnicos e táticos), o trabalho aeróbio continuo pode ser feito utilizando o uchi-kome em deslocamento como forma de exercício, quando o atleta for mais bem condicionado aerobicamente deve se realizar um trabalho intervalado que será o principal modo de se obter melhorias nessa capacidade física, o nague-komi ou trabalho de randori intervalado (mudando os oponentes a cada 30 segundos com muita movimentação, por exemplo) podem ser utilizados.

O treinamento anaeróbio tem como principal característica a curta duração, o prolongamento da atividade implica aumento de contribuição aeróbica. Esse tipo de treinamento tem como objetivo melhorar o desempenho, sobre tudo no exercício de alta intensidade, que corresponde à característica do judô.

Na montagem do treino é de fundamental importância levar em conta fatores como intensidade, duração, intervalo e freqüência com que as seções de treinamento são conduzidas. A duração dos execrcicos devem ser de curtas, estímulos de 10 segundos, exercícios de duração intermediaria, estímulos de 15 e 45 segundos, exercícios com duração superior teriam uma grande participação do metabolismo aeróbio e ate mesmo predominância desse sistema bioenergético quando em torno de 65 a 75 segundos e, portanto, não serão abordados na classificação de exercícios anaeróbios. Podem ser trabalhados exercícios em que o individuo realize o maior esforço possível em um período fixo de tempo, com intervalos para a recuperação, nesse tipo de treino é importante manter um padrão de movimento, se durante o treino o atleta começa a perder a qualidade de movimento e diminuir consideravelmente o número de entradas de queda, o treino deve ser encerrado ali, pois treinar em exaustão não funciona, se o atleta treina "morto" ele se prepara para lutar "morto", o que vai fazer ele evoluir e resistir ao treinamento é justamente um planejamento bem elaborado e de forma progressiva, para que ele chegue no dia da competição o melhor possível.

O treino anaeróbio também pode e deve e pode ser adaptado ao judô, como por exemplo realizar quatro series de cinco nague-komi na maior intensidade possível, com intervalos proporcionais ao tempo de estimulo entre as séries. Estudar, pesquisar, evoluir e planejar os treinos é o único caminho para que um técnico se torne um grande profissional para assim, no futuro, formar grandes campeões. A ciência anda ao lado do esporte, e ela é fator determinante no alto rendimento.

Por Itallo Vilardo e Karina Oliveira. Confiram no site Ítallo Villardo



Comente:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos não serão publicados!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog