terça-feira, 23 de setembro de 2014

18:16:00

Salto vertical no Voleibol e Musculação

http://cdn.logon.prozis.com/images/salto_voleibol.jpg

Uma das maiores dúvidas de praticantes de voleibol é uma forma de melhorar a sua impulsão nas jogadas de redes, tanto no ataque quanto no bloqueio. Para o praticante, é importante treinar a potência na musculação porque é uma das capacidades físicas predominantes no jogo de voleibol. A força máxima dinâmica também merecem ser exercitadas nas sessões de musculação e terão utilidade no jogo de voleibol.

Portanto, a musculação para o atleta de voleibol tem que ser praticada similar ao gesto desportivo da modalidade para proporcionar uma adequada transferência da força aos fundamentos executados pelo voleibolista. Ela auxilia no aumento da impulsão do salto vertical, principalmente o exercício resistivo que é responsável pela melhora do salto vertical.

Esse tipo de exercício vai fazer os atletas saltarem mais porque possuem mais força isométrica nos músculos dos membros inferiores. A força isométrica correlaciona-se significativamente com o salto vertical do desportista. Desportos de velocidade também conseguem boa performance no salto vertical por causa que esses eventos necessitam de potência .

Preconiza-se a pratica da musculação por 4 dias por semana com 8 a 12 repetições e possuindo exercícios para os membros inferiores, ombro, costas e braço, beneficiando o desempenho do salto vertical. Sessões de força isotônica-isométrica melhoram mais o salto vertical do que as de força máxima.

Não é só o número de repetições, séries ou o objetivo da sessão de musculação que aumentam a impulsão do salto vertical, a especificidade é um fator determinante. Portanto, o agachamento com halter pode trazer um resultado melhor que um treino de força na cadeira extensora e abdutora porque ativa à ação excêntrica e concêntrica, similar o movimento muscular do salto vertical com contramovimento.

A potência também propicia uma melhora na impulsão do salto vertical. Sessões de potência devem ter uma duração máxima de 2 meses para mulheres e 4 meses em homens, mais do que este período a força explosiva tende a declinar.

Segundo estudos, há 5 fatores que se melhorados em conjunto beneficiaram a força de potência, eles são: força executada em velocidade lenta com cargas elevadas (força máxima dinâmica), força realizada com máxima velocidade portando pesos leves ou medianos (força de potência), habilidades específicas (ciclo excêntrico-concêntrico e índice de manifestação da força) e coordenação intermuscular.

 A potência torna-se imprescindível para os desportos da atualidade por causa que auxilia no desempenho atlético, como no arremesso, golpe de uma arte marcial e no salto vertical. Peso de musculação que visem à melhora da força de potência possuem um alto risco de lesão, apesar de ser comprovado os seus benefícios para a performance.

A força máxima dinâmica e a força de potência são imprescindíveis para aumentar o salto vertical do atleta de voleibol.

As informações foram retiradas daqui

terça-feira, 9 de setembro de 2014

11:11:00

Treinamento funcional para o Jiu-JItsu

http://1.bp.blogspot.com/-ovUfkx7nztE/TyYKQYvrHHI/AAAAAAAAEhk/PkqfreTc2Ww/s1600/Funcional.jpg

O treinamento funcional vem ganhando espaço entre os praticantes de jiu jitsu. Para melhoria da performance os atletas gregos desenvolveram equipamentos e métodos de treinamento específicos para superação de resultados. Esta prática, também foi aplicada na Roma Antiga, entre os gladiadores.

Acesse o blog da Educação Fisica

Na atualidade o treinamento funcional, mantém a sua essência como um método de treinamento físico especifico , com a premissa básica de melhoria da aptidão física relacionada à saúde ou melhoria da aptidão física, relacionada a performance esportiva e prevenção de lesão músculo esquelético. Tem como característica realizar a convergência das habilidades biomotoras fundamentais do ser humano, para produção de movimentos mais eficientes.

Paul Chek desenvolveu um sistema de treinamento funcional focado nos movimentos fundamentais do homem primitivo e que são executados também no cotidiano do homem moderno, são eles os movimentos de: agachar, avançar, abaixar, puxar, empurrar, levantar e girar.

Algumas linhas de pesquisa sobre treinamento funcional referem-se ao treinamento com instabilidade e/ou treinamento do core. Podemos entender como treinamento do core um programa de exercícios físicos que visa melhorar a capacidade de controlar a posição e o movimento do tronco sobre a pelve e as pernas para permitir uma ótima produção, transferência e controle da força e movimento , numa cadeia integrada de atividades.

Desta forma o produto do controle motor e da capacidade muscular do complexo lombo-pélvico-quadril é a estabilidade do centro corporal (core).

Para que o treinamento produza aumento da performance é necessário expor o organismo a estímulos maiores do que os realizados normalmente, pois sempre que o estímulo se estabilizar, o organismo também estabilizará sua resposta.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog