quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

10:53:00

Entenda o Fartilek

https://www.saudemelhor.com/wp-content/uploads/2016/03/assessoria-esportiva.jpg 

A busca da maior parte dos corredores é crescer e evoluir na corrida, ganhando desempenho e preparo físico. Porém, usar diariamente os mesmos tipos de treino pode não ser suficiente para esta melhora. Exercícios específicos ajudam o corredor a ficar mais rápido e, o que é melhor, até de uma forma divertida.

Um dos treinamentos que podem ajudar o atleta a sair da rotina é o Fartlek. Criado na década de 30, pelo treinador sueco Gösta Holmér, esse exercício é conhecido até hoje por causa das suas vantagens na prática da corrida. O nome diferente é derivado de duas palavras suecas: "fartlöpning", que significa correr, e "lek", tradução de brincar. Desta forma, pela sua dinâmica nas ruas, esse treinamento pode ser considerado uma "brincadeira de correr".

O Fartlek é um treino de velocidade, que visa um melhor desempenho do corredor. "Atuando com variações de ritmo, esse treinamento consiste em fazer um treino pesado brincando, trazendo melhora na velocidade, condicionamento, força e performance", diz Kim Cordeiro, direto técnico da BK Sports.

No Fartlek, além de o corredor dever misturar variados terrenos, ele conseguirá trabalhar também alguns fundamentos da corrida. Quanto mais variada for a prática do exercício, mais divertida e proveitosa para a performance ela será.

Existem quatro variações do treinamento, confira quais são:

1º Fartlek original: Consiste no corredor definir seu próprio ritmo e distância que será percorrida. A variação de terreno também é um dos pontos fortes, como correr na areia, terra, grama, subida e descida, etc.

2º Fartlek dirigido: Nesse treino, a distância e o ritmo da corrida são decididos e controlados pelo treinador. Treinos na esteira são bem cabíveis, já que a velocidade e o terreno (subidas e descidas) podem ser regulados.

3º Fartlek especial: Diferentes distâncias, ritmos e tempos fazem partes deste treino. Exercícios educativos e saltos podem ser mesclados com a corrida.

4º Fartlek líder: Treino realizado em grupo. Em cada momento, um corredor vira o líder, determinando qual será a velocidade. Os outros devem tentar ultrapassá-lo, virando assim o novo líder. É necessários que os corredores sejam do mesmo nível técnico e que seja estabelecido distâncias e a duração do treino.

Vantagens e desvantagens
Como em qualquer treinamento, o Fartlek tem seus prós e contras. As vantagens são bem numerosas. "O Fartlek pode melhorar o volume do coração, que irá bombear mais sangue, o desempenho do atleta, o fortalecimento muscular e a capacidade pulmonar, tendo uma melhor oxigenação", explica Júlio Coelho, diretor técnico da Equipe Júlio Coelho Assessoria Esportiva.

O maior contra deste treinamento é, mesmo sendo divertido de ser realizado, ser um exercício desgastante e puxado para os corredores, não podendo assim ser colocado frequentemente nos treinos, assim como os exercícios intervalados.

Mesmo sendo um exercício atraente para todos os tipos de corredores, algumas pessoas devem ter um cuidado a mais na hora de realizá-lo. Corredores iniciantes, que acabaram de entrar no "mundo da corrida", devem ser poupados desse treinamento, já que ficará mais difícil cumprir o ritmo que será imposto.

Corredores que já completam as distâncias de 5 km podem realizar o treinamento naturalmente, com tanto que ele seja realizado a cada dez dias, para que o desgaste não atrapalhe os treinamentos durante a semana.

Fonte: O2Minuto

Já visitou a área de Educação Física do site? Acesse clicando aqui

07:54:00

A concentração no esporte

http://www.unimedfortaleza.com.br/portaluploads/uploads/2015/12/beneficios-do-exercicio-fisico-regular-em-pessoas-com-diabetes-e-hipertensao.jpg

As características psicológicas e o seu desenvolvimento são determinantes para o sucesso desportivo. Entre essas características, aquela que nos parece ser uma das mais referida por treinadores como sendo pouco desenvolvida, é a concentração. A concentração, é muitas vezes o motivo pelo qual o atleta não consegue obter êxito na execução do gesto técnico. No entanto, para elevar os níveis de concentração dos atletas são utilizadas diferentes estratégias entre técnicas aliadas ao desporto e técnicas específicas desenvolvidas fora destes contextos que procuram igualmente uma performance máxima de concentração.

    Segundo William James (1999 in Weinberg & Gould, 1999), a concentração é a capacidade de estar com atenção, permitida pela mente. Para este autor, a focalização e a concentração são a essência da atenção. No entanto, esta definição apenas refere um dos aspectos da concentração, que é a atenção selectiva. Para Solso (1995 in Weinberg & Gould, 1999), a concentração no desporto, define-se em três partes: focalização das sugestões relevantes do envolvimento (atenção selectiva), manutenção da focalização da atenção durante um período de tempo longo e, conhecimento da situação. A concentração, pode explicar-se como uma intensa actividade mental, dirigida a um sector delimitado da nossa actividade. Permite a um jogador, actualizar as aprendizagens realizadas com antecedência, e "bloquear" aquelas que não têm a ver com o objecto da actividade que se está a desenvolver. Alguns autores entre os quais Nideffer (1993) que a atenção é um aspecto vital para a prestação desportiva. Este autor, considera que os desportistas podem ser descritos com base na sua capacidade selectiva de atenção ou nos estilos de atenção que demonstram. A diferença centra-se no facto de cada um possuir os seus estilos tendo vantagens e inconvenientes. Desta forma, a capacidade de mudar o estilo da atenção voluntária e controladamente é muito importante para a performance do atleta. Assim sendo, consideramos a focalização da atenção como o aspecto mais importante da concentração. Essa focalização da atenção pode ser dividida em dois tipos de categoria: largura (geral ou restrito) e direcção (interna ou externa). A focalização da atenção restrita, ocorre apenas quando respondemos a uma ou duas sugestões. A focalização da atenção externa é directa a um objecto, como a bola, enquanto que a interna é direccionada para emoções. Desta forma, a concentração depende das distracções internas e externas do atleta. As internas incluem eventos passados, eventos futuros, fadiga e análise do mecanismo do corpo. As distracções externas, incluem factores visuais (Weinberg & Gould, 1999). A focalização da atenção permite ao jogador, uma percepção nítida da informação seleccionada. Quando um futebolista consegue gerir correctamente o seu nível de atenção, tende a perceber com total nitidez, as acções do jogo e inibir-se de qualquer outro estímulo, como por exemplo, as suas próprias preocupações (Carrascosa, 2003). Esse centralizar da atenção está definido, segundo Dosil (2004), em dois tipos de estímulos:

(1) Estímulos dominantes - Estímulos dominantes são aqueles estímulos que ocupam a focalização principal do sujeito. Por exemplo no ténis, seria seguir a bola e o adversário.

(2) Estímulos flutuantes - Estímulos flutuantes são aqueles que podem aparecer na situação em que se encontra o sujeito. Por exemplo, o público a falar.

Leia o restante do texto clicando aqui

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog