quinta-feira, 26 de julho de 2018

15:48:00

Treinamento de Natação para Crianças




A prática da natação aliada à estimulação de habilidades, respeitando as fases sensíveis da formação, a individualidade de cada um e o ensino adequado e programado, proporciona o desenvolvimento multilateral da criança, contribuindo para sua formação geral bem como para o aprendizado de uma modalidade esportiva que ele poderá praticar no decorrer da vida, seja para o esporte ou para outras finalidades

Antes de iniciar um treinamento especializado infantil é de fundamental importância que algumas orientações sejam seguidas a fim de que o trabalho seja desenvolvido adequadamente, de modo que não venha prejudicar a saúde da criança.

Portanto, os técnicos de natação e consequentemente os clubes devem ser responsáveis por considerar os aspectos científicos na preparação de treinamentos para crianças.

A frequência semanal dos treinos, bem como a aplicação do volume e da intensidade dos treinamentos, são pontos a serem considerados a fim de se evitar um desenvolvimento antecipado do potencial atlético de crianças. Neste sentido, TERRA (1990) defende que se o estímulo dado à criança for adequado, considerando suas limitações físicas, emocionais, sociais e intelectuais, a natação irá sem dúvida lhe proporcionar um desenvolvimento harmonioso.

O tempo livre da criança não deve ser de todo absorvido pelos treinamentos e competições; ela deve dispor de tempo suficiente para outros domínios da vida como escola, família e amigos. E importam situações que permitam a criança usufruir de contatos sociais variados, além daqueles estabelecidos no treino e nas competições, evitando um eventual isolamento. Igualmente, deve ser garantido um espaço suficiente para que o tempo livre seja usado no cultivo de outros interesses além do esporte.

Sendo muito importante que o técnico de natação obtenha conhecimentos de pedagogia e psicologia, conduzindo de forma satisfatória seus nadadores, e sabendo retê-los, permitindo que estes, de vez em quando, faltem ao treinamento para que possam ir ao cinema ou mesmo se reunirem com os amigos.

O fator idade interfere na aprendizagem e no nível de desempenho das crianças, sendo, portanto, importante considerá-la ao se iniciar a prática desportiva.

O único esporte que não há limite de idade para o aprendizado é a natação. No entanto, o treinamento da natação envolvendo crianças, requer considerações relevantes ao processo de crescimento e desenvolvimento, para que o treinamento seja eficaz este deve ser fundamentado em dados do desenvolvimento biológico e antropométrico, muito mais do que a idade cronológica.

São os principais fundamentos da natação, a flutuação, a propulsão e a respiração do nadador (inspiração e expiração), devendo haver muito cuidado e atenção ao ensino dessas etapas aos alunos em fase de aprendizagem. Visto que em todo o programa de iniciação devemos encontrar uma hábil dose de exercícios de flutuação, respiração e propulsão, sem a qual o estudo seria certamente enfadonho.

As atividades motoras de aperfeiçoamento dos movimentos são agrupadas por áreas e compõem um repertório a ser utilizado pelo professor de natação do clube.

Foram trazidas 12 (doze) sugestões de brincadeiras envolvendo a ludicidade para iniciação da natação para crianças entre 03 e 06 anos.

O treinamento de base deve responder as seguintes regras:

·   Formação básica polivalente com aprendizagem e domínio das quatro técnicas de nado;

·   Aquisição de habilidades técnicas básicas, estabelecendo uma ampla base motora;

·   Métodos e treinamentos múltiplos de formação geral.

O objetivo é a aprendizagem gradual do nado, com ganho de velocidade enquanto se aperfeiçoa a técnica e se desenvolve o conceito de ritmo, alcançando o máximo de rendimento na idade adequada.

O ideal e é organização dos períodos de modo a respeitar os tempos de recessão escolar, sendo a organização do treinamento pautada em períodos breves, garantindo fases suficientes de recuperação e restauração no organismo das crianças.

Em infantis do grupo A é conveniente treinar ao máximo 6 (seis) sessões semanais no inverno, e adicionar no máximo duas sessões a mais no verão, com alto conteúdo técnico. Em infantis do grupo B, o ideal é treinar 6 (seis) sessões no inverno e adicionar de 3 (três) a 4 (quatro) no verão. Já os juvenis do grupo A, 8 (oito) sessões no inverno, adequando as possibilidades, e de 10 (dez) a 11 (onze) no verão.

As competências permitem um controle contínuo do efeito das formas e métodos de treinamento, proporcionando uma direção no processo. Servem, sobretudo, para diversificar o treinamento e suas exigências, bem como, para manter a motivação. Não devendo perturbar o processo de treinamento em longo prazo por uma preparação especial.

Os pais têm papel importante no desenvolvimento dos atletas que se destacam em atividades esportivas e atingem o alto nível de desempenho. Este papel pode ser em forma de participação ativa, acompanhamento de atividades, suporte social e financeiro, mudança na rotina e nas prioridades da família, entre outras formas. Porém, faz-se necessário que estes sejam orientados a respeitarem as fases de desenvolvimento e maturação pelas quais seus filhos passam a acreditarem que o mais importante na prática de um esporte, como a natação, é a formação para uma vida saudável e equilibrada, enquanto o sucesso seria apenas um fator secundário.

O DVDs Sports tem aulas de Natação online com vários temas para facilitar a vida do professor. Clique aqui e veja os temas!

segunda-feira, 9 de julho de 2018

09:31:00

Como melhorar a força do arremesso?


 Resultado de imagem para arremesso

Há certas modalidades em que é fundamental ter um bom arremesso de maneira a marcar a diferença. Por exemplo, na modalidade de arremesso de peso é importante um atleta ter força e aceleração no braço. Mas estas qualidades não são exclusivas de praticantes de arremesso de peso. Os jogadores de andebol, de pólo aquático e de basebol, por exemplo, também necessitam de possuir estas qualidades.
Sendo assim, em modalidades ou desportos em que é importante ter um bom arremesso, quais as características importantes a desenvolver? Que região do nosso corpo devemos trabalhar mais?

  Resumindo, como melhorar a força do arremesso?

Um estudo recente realizado com 38 praticantes de modalidades de arremesso iluminou esta questão [*1]. Os voluntários tiveram de executar os exercícios de supino e de meio agachamento. Foram avaliados os parâmetros da força e velocidade na execução dos exercícios. Também foi retirada informação sobre a rigidez dos membros inferiores durante o maior salto executado pelos voluntários.
Os investigadores descobriram que os melhores desempenhos destes atletas durante a época estava correlacionada com os melhores registos no supino e no meio agachamento a nível da força máxima aplicada. Concluíram, portanto, que a força e a rigidez dos membros inferiores e a força e velocidade dos membros superiores pode estar associada à performance de arremesso dos atletas.

Como desenvolver a força muscular e melhorar o arremesso?

Visto isto, existe alguma forma de desenvolver a força dos músculos dos membros inferiores e superiores, para além do trabalho de ginásio? Um recente estudo responde "sim": através do uso de pesos ajustáveis como parte do aquecimento.

Dez jovens praticantes de arremesso de peso foram divididos em 3 grupos: o grupo sem peso extra, o grupo com acessórios de peso de 1,37kg e o grupo cujos acessórios de peso era de 2,27kg. Os resultados foram prometedores: os atletas que integraram acessórios de peso de 1,37kg no seu aquecimento aumentaram o seu arremesso em 3,54m. Os atletas que usaram pesos de 2,27kg aumentaram o seu arremesso numa média de 3,15m.

Os cientistas concluíram que incluir pesos ajustáveis durante uma parte ou durante todo o aquecimento é uma boa maneira de aumentar o arremesso na competição.

publicado em 2411/12 e revisado em 09/07/18

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Arquivo do blog